Primo Parrudo com Rola Grossa

Por

Esse é meu primeiro , então o feedback de vocês é realmente muito importante. Esta história é fictícia e eu, provavelmente, vou usar os personagens dela nos próximos contos. Sem mais delongas, espero que gostem e vamos ao conto.

Meu nome é Otávio, e eu vou contar como perdi a virgindade com meu primo mais velho (Carlos). Eu tinha entre 15-16 anos( atualmente tenho 18), 1,75 de altura , 75 quilos, cabelo preto e olhos castanhos , Carlos 26 anos, era tipo parrudo mas sem ser urso, já que aparava os pelos, 1,90 de altura, não me lembro o peso mas como eu já disse ele era bem grande, tinha cabelo escuro quase raspado, e era bem humorado e divertido.

Em um dos encontros da família que aconteciam anualmente, eu ,o Carlos e o irmão dele(Júlio) ficamos de trazer alguns refrigerantes da casa da minha tia pro lugar da festa que era um casarão no centro do interior que a minha avó morava.

Durante o percurso,o Júlio recebeu uma ligação da minha tia que pediu pra ele resolver um problema que tinha surgido na organização da casa e dessa forma eu fiquei sozinho com meu primo para levar os refrigerantes.

Quando chegamos na casa da minha tia, fomos a cozinha e começamos a tirar as garrafas do freezer. Durante o processo eu tinha que me inclinar para pegar as que estavam mais no fundo e isso deixava minha bunda mais a mostra e eu notava que Carlos olhava discretamente pra ela , mas não dei muita importância já que achava que ele era totalmente hétero.

Quando estávamos saindo com os refrigerantes ,Carlos foi beber água e acabou derramando-a na camisa, automaticamente ele a tirou e eu tive um visão linda. Eu me esqueci de dizer que tenho uma certa atração por homens mais gordos, então aquele corpo volumoso do meu primo me deixou salivando. Eu acho que deixei minha admiração muito visível e ele perguntou rindo:

—- Que foi primo? Tá me olhando como se tivesse com tensão!

Na hora eu fiquei vermelho, e tentei negar:

—- Não não! Imagina…

Carlos me olhou com certa safadeza no olhar e disse:

—- Se você realmente tiver, não tem problema, sou seu primo não vou sair espalhando pra família toda.

Isso me tranquilizou, então falei a verdade:

—- Eu realmente fiquei , e pra ser sincero, eu te acho um gostoso.

Quando eu terminei de falar, Carlos abaixou o short que usava e ficou só com uma cueca apertada.

—- Então chega mais primo! Bora brincar um pouquinho.

Eu fiquei sem reação, não imaginava que meu primo tivesse esse atração por homens , muito menos por mim que não sou muito bonito. Eu fiquei imóvel é meu primo se aproximou.

—- Bora prum quarto, é mais confortável.

Nisso ele me puxou pelo braço e me levou a um quarto qualquer da casa ,tirou minha blusa , minha bermuda e tirou minha cueca, tudo de forma muito brusca.

—-Calma Carlos! — Eu falei com certo tom de medo.

—- Eu já tinha notado seus olhares para mim em outras ocasiões, eu sabia que tu tava querendo ,faz tempo que eu tô na seca e eu quero logo fuder esse cu, então cala a boca!—- Carlos falou com um tom de voz alto e dominante.

Eu estava sentido um misto de medo e desejo e não tive coragem de falar nada.

Com o meu silêncio, Carlos abaixou a cueca e mostrou um membro de uns 17-18 cm mas bem grosso. Puxou minha cabeça pra perto do rosto dele e ordenou:

—Chupa seu puto!

Cai de boca na hora, nunca tinha feito isso antes mas estava adorando, comecei passando a língua na cabeça e depois pelo resto da pica, quando fui engolir acabei colocando mais do que aguentava e engasguei, mas antes de tirar minha cara de lá meu primo forçou a minha cabeça e colocou tudo de uma vez. Eu senti uma ânsia de vômito gigante mas não conseguia afastar a rosto ,Carlos era muito forte. Depois uns 10 segundos , ele soltou a minha cabeça e eu não sei como não vomitei, mas tossi muito e estava com o rosto muito vermelho.

—- Pensava que o viado era mais experiente! É tua primeira vez?—- perguntou meu primo.

Só confirmei com a cabeça. Ele abriu um sorriso gigante no rosto , me virou de costas de forma bem bruta, deu um tapa muito forte na minha bunda e disse:

—-Vou tirar o cabaço dessa bunda porra!

Tu nunca vai esquecer dessa rola entrando!

Eu fiquei com vontade de sair de lá mas ao mesmo tempo estava duro e morrendo de vontade de dar.

Meu primo colocou o dedo na boca e enfiou na minha bunda com força. Eu soltei um gemido alto, mas a única reação dele foi enfiar outro dedo junto. Estava doendo e eu pedi pra ir com calma, mas a única reação foram dois tapas fortes na minha bunda e um cala a boca bem alto no meu ouvido. Diante daquela situação, a única coisa que fiz foi tentar relaxar e aproveitar alguma coisa do momento.

Meu primo abriu minha bunda , cuspiu e colocou a cabeça da pica lá dentro. Pensava que ia ser menos doloroso já que a cabeça entrou relativamente fácil, mas quando eu menos esperei ele enfiou tudo de uma vez , antes de eu gritar ele tampou minha boca e falou no meu ouvido:

—-Relaxa que eu agora é só esperar se acostumar. Eu fui bruto no início pra te abrir logo e poder fazer o resto ser melhor pros dois.

Eu estava sem entender essa mudança de comportamento, mas estava tentando administrar a dor que eu sentia pela estocada violenta que eu tinha levado. Depois de um tempo, parou de doer muito e eu empinei a bunda pra mostrar que ele podia continuar. Meu primo então começou a meter levemente e falando sacanagem no meu ouvido.

—-Cu gostoso da porra primo! Vou encher de leite esse buraco! Diz que é minha puta e eu seu macho.

—-Tu é meu macho Carlos! Carlão gostoso! Me fode!

Mesmo doendo ainda eu sentia um prazer gigante e pedia pra ele me foder mais e mais. O ritmo das estocadas aumentava cada vez mais e ele dava tapas na minha bunda. Tirou a rola de um vez, se deitou na cama e mandou eu cavalgar. Sem experiência nisso eu montei nele sem jeito, mas acho que ele gostou já que gemia bastante, eu sentia muito prazer e tentei acelerar o ritmo em cima dele.Entre gemidos, tapas na bunda e muito prazer ele anunciou que ia gozar e eu disse:

—–Me enche de porra primo! Goza dentro de mim!

Dito e feito, logo senti o líquido quente dentro de mim e escutei o urro de Carlos gozando. Sai de cima dele e deitei ao lado ofegante. Ainda estava duro e meu primo notou.

—-Goza primo, tá merecendo.

Então comecei a lamber os mamilos dele e me masturbava ao mesmo tempo, logo gozei também. Tomamos banho juntos depois. Estava nas nuvens mesmo com a bunda ardendo e tento sangrado um pouco.

Quando chegamos com os refrigerantes, todos indagaram porque demoramos tanto, meu primo inventou que tinha ido resolver outra coisa e tinha me deixado esperando em casa.

Depois dessa vez tivemos outras experiências, inclusive com o irmão dele e outro primo dele. E realmente, eu nunca esqueci aquela vez.